Skip to main content

Esse momento exige uma revisão na estratégia, um ajuste nos processos e, acima de tudo, pragmatismo para interpretar o cenário que se desenha e calma para tomar decisões lógicas. Assim, definimos 7 ações que vão diminuir o impacto da crise na sua empresa.

1. Rastreie as entradas e saídas de dinheiro em seu fluxo de caixa.

Essa é a 1ª, das 7 ações que vão diminuir o impacto da crise na sua empresa. É comum donos de pequenos negócios não saberem o que entra nem o que sai do caixa da empresa. Se você até uma semana atrás misturava suas contas pessoais e a dos negócios, pare imediatamente. Se já era importante ter o controle, agora é IMPRESCINDÍVEL. Saber quais são suas receitas e despesas no curto, médio e longo prazo é o que irá fazer você tomar decisões lógicas e não na emoção.

2. Avalie se, mesmo nesse período, você consegue entregar seu produto ou serviço de outra forma.

Com as restrições de deslocamento é inevitável que muitos negócios tenham sido afetados e fecharam as portas. esse é o momento de parar (literalmente!) e pensar em como o seu negócio pode inovar e ser diferente. É necessário considerar novas estratégias de vendas, entregas e divulgação do seu produto. Muitos negócios passarão a ser digitais. Será que o seu também? Mesmo que você não consiga faturar nesse período, mantenha a proximidade com seus clientes. Procure saber, genuinamente, como eles estão. Isso lhe renderá frutos quando tudo isso passar.

3. Renegocie com todos os seus fornecedores.

É tentador simplesmente não pagar o próximo boleto do seu fornecedor. Algumas empresas mesmo que quisessem, sequer teriam caixa disponível para quitá-lo. O fato é que tanto você, quanto o seu fornecedor, está passando pela mesma situação. A melhor saída para isso é entrar em contato com ele. Negociar um meio termo, redução no valor do boleto, diluição das parcelas, devolução de mercadorias, mas que seja benéfico para ambos. É só se colocar no lugar do outro. Amanhã pode ser um cliente seu que te ligue e tente renegociar, por se ver na incapacidade de pagar.

4. Busque informações de impostos, tributos e taxas que estão sendo postergados.

Muitas ações estão sendo feitas pelo governo para tentar minimizar o impacto econômico-financeiro da crise. Algumas delas são a postergação de tributos, taxas e impostos. O próprio Simples Nacional foi prorrogado por 90 dias a partir da apuração de março, que é paga em abril. Férias antecipadas, férias coletivas, entre outras ações estão sendo tomadas para preservar os empregos. Avalie em seu quadro de pessoal se faz sentido você conceder férias coletivas. Fale com o seu contador.Ele deve estar atualizado com todas essas mudanças no cenário tributário/pessoal.

5. Priorize as linhas de crédito subsidiadas e ofertadas em bancos federais.

Muitos bancos estão concedendo, além de anuência em algumas parcelas nos próximos 60/90 dias com pagamento a posteriori, linhas de crédito subsidiadas que podem ser a solução para o caixa de muitas empresas. Taxas de juros na faixa de 0,4% a.m. com carência de 6 meses e prazo de pagamento de 24 meses. Caixa Econômica Federal, Banco do Nordeste e BNDEs estão entre esses bancos. Bancos privados como Itau e Santander estão fazendo ações para adiar por 60 dias os pagamentos e isenção de taxas nos próximos 60 dias, respectivamente. Vale à pena, ainda, checar os recebíveis de cartão. Há operadoras que estão concedendo taxas mais baixas antecipação. Cheque com cuidado e saiba o que é importante saber na hora de contratar!

6. Reveja as condições de seus clientes.

Assim como você, seus clientes certamente estão passando pelo mesmo revés. Nesse momento, antecipar-se é fundamental para preservar boa parte de suas receitas. Revisar contratos é minimizar os riscos de inadimplência ou mesmo de cancelamento total dos seus serviços. Quando você se antecipa e revisa (diluindo parcelas, concedendo carência, dando desconto, etc), primeiro você está mostrando ao seu cliente que se preocupa com ele, ao mesmo tempo em que preserva possíveis perdas em suas receitas. Lembre-se: é melhor receber algo, do que receber nada. Uma hora esse cenário vai passar e você precisa estar de pé para prosseguir.

7. Na medida do possível, fique clamo e MANTENHA O FOCO!

Em momentos de crise como esse, pedir para você manter a calma, com inúmeros boletos a pagar, famílias dependendo de você, fornecedores esperando um retorno e clientes cancelando ou cobrando entregas, é muitas vezes um ultraje. Mas pare para pensar (literalmente!), não manter a calma só irá piorar o cenário. O momento exige frieza e uma leitura pragmática do cenário, para que as decisões tomadas sejam lógicas e não na emoção. A permanência do seu negócio está em jogo e, tomar decisões centradas hoje, mesmo que difíceis, pode ser o fator para melhorar o cenário à frente.

Para tudo isso, conte conosco. Estamos oferecendo sessões de mentoria para pequenos negócios que ainda não sabem o que fazer diante de tudo isso.

Fale conosco através do nosso WhatsApp

#somosumasóRedde

Moisés - Cofundador da Redde

Moisés Nóbrega Cofundador da Redde Consultoria Instagram: @reddeconsultoria

Leave a Reply