É muito comum que um empreendedor que esteja começando o seu negócio, não saiba quais os 4 passos deve seguir para ter o controle definitivo das finanças da sua empresa. Geralmente, quando isso acontece, o primeiro erro é ter o costume de manter juntas, as movimentações financeiras pessoais e de sua empresa. Não é raro acontecer, por exemplo, que no dia de vencimento de uma despesa de um cartão de crédito pessoal, o dinheiro para o seu pagamento seja retirado do caixa da empresa. E isso é um sinal de um grande problema.

Saiba, abaixo, quais os 4 passos que você deve seguir para ter o controle financeiro da sua empresa.

1º Passo – Separe, definitivamente, o planejamento financeiro em duas partes: PF e PJ

O planejamento financeiro da pessoa jurídica é o mais importante, pois é de lá que vem a sua fonte de renda. Assim, é importante que o empreendedor retire de seu negócio o pró-labore, isto é, um salário que irá remunerar o empreendedor pelo seu trabalho. O empreendedor, portanto, deve viver dentro desse valor que ele estabeleceu, não importando que essa retirada seja mensal, quinzenal ou até mesmo, semanal.

2º Passo – Registre seu planejamento e movimentações financeiras em uma ferramenta.

Não importa qual!

A arrasadora maioria dos pequenos negócios não possuem qualquer registro de controle financeiro, ou seja, não sabem quanto entra no caixa, quanto sai e qual o destino do dinheiro. Talvez por isso, 1 em cada 4 negócios no Brasil fecham as portas com menos de 2 anos, segundo dados da pesquisa “Panorama dos Pequenos Negócios” de 2018, realizada pelo Sebrae nacional.

Não importa se será em um caderno, em um aplicativo ou mesmo num software de gestão financeira. Como você pode ver existem diversas formas de realizar esses registros e controla-los. O que você precisa fazer é entender qual a melhor ferramenta que se adapta ao seu negócio e então, praticar.

3º Passo – Traçar planos a partir do controle das finanças da empresa

Com o controle de suas finanças organizado é a hora de traçar os planos para sua empresa.

Organize suas despesas e custos para saber quanto é possível cobrar nos seus produtos/serviços sem ter prejuízo. É importante você ter clareza do seu custo fixo e variável para que possa diluir esses valores quando fizer a precificação do seu produto.

Analise quais investimentos você deverá fazer para que o seu negócio sempre esteja crescendo.  Participar de cursos/palestras, cursar uma especialização, promover maior networking, estar presente em eventos importantes, comprar equipamentos para aumento de produção, são alguns desses exemplos.

Transforme seus objetivos em algo mensurável para que você possa saber quando irá conquistá-los. Exemplo: economizando R$300,00 por mês, em 10 meses poderei participar de um evento importante em São Paulo. Quando você detalha esses objetivos, consegue definir metas e acompanhar se está alcançando ou se precisa ajustar alguma peça para conquistá-lo.

4º Passo – Mantenha o seu fluxo de caixa conciliado

Agora com o controle das finanças da sua empresa e os planos bem definidos é o momento de analisar o fluxo de caixa e saber, de forma objetiva, se a empresa está tendo capacidade ou não de pagar suas despesas para manter o negócio saudável. Se não estiver, está na hora de pensar a forma em que o dinheiro está entrando no caixa e para onde ele está saindo.

Em seguida, você conseguirá tomar decisões acerca de quais despesas poderá diminuir ou cortar e quais tipos de receita você poderá maximizar para ter lucro daí em diante. Ter uma boa ferramenta somado a uma disciplina, é realmente importante para que você tenha relatórios de fluxo de caixa fiéis e conciliados com o seu banco

Com o fluxo de caixa, você terá em mãos: quanto você possui disponível em seu caixa para arcar com obrigações ou investimentos no curto, médio e longo prazos; previsão de ruptura (quebra) de caixa; necessidade de captação de recursos adicionais (normalmente junto a bancos); analisar prazos de pagamentos, entre outros.

Uma empresa que trabalha com vendas diárias precisa controlar o seu fluxo de caixa para analisar os recebimentos e pagamentos. Se este for o seu tipo de negócio, olhar para finanças apenas considerando um prazo longo, pode não lhe trazer clareza sobre o seu fluxo de caixa diário ou seja, sobre o que pode acontecer daqui a alguns poucos dias. Isso por trazer consequências, muitas vezes, irremediáveis.

Para essas e outras necessidades, você pode contar conosco. É nossa missão devolver aos empreendedores o controle sobre suas finanças e acompanhar o crescimento do seu negócio.

 

Mateus Henrique
Mateus Henrique – Sócio da Redde Consultoria